• Avenida Tocantins - 780, Centro, Araguaína - TO
  • Aberto de SEGUNDA a SEGUNDA

O maior Hospital de Olhos

da região Norte do País

Especialistas

em constante atualização

Melhor atendimento

profissionais de excelência
CALL CENTER HO : 63 3415-5600

Crosslinking – Avanço no tratamento do Ceratocone

O Ceratocone é uma doença não inflamatória que provoca aumento da curvatura e afinamento progressivo da córnea. Geralmente ocorre nos dois olhos de maneira assimétrica e está associado tanto a fatores genéticos como comportamentais, sendo o ato de coçar os olhos o principal fator de risco associado ao desenvolvimento e progressão da doença.

Inicialmente, o aumento da curvatura da córnea gera embaçamento visual pelo aparecimento de astigmatismo e miopia, sendo necessário o uso de óculos para correção do grau. Com o avanço da doença, a forma irregular da córnea leva a uma situação em que os óculos deixa de ser eficaz, sendo recomendado o uso de lentes de contato rígidas para melhorar a visão.

Os casos que continuam a progredir podem necessitar de intervenção cirúrgica na tentativa de estabilizar a doença. Dentre os procedimentos cirúrgicos podemos citar o crosslinking corneano, implante de anel ou até mesmo transplante de córnea, para os casos mais avançados.

Estimativas apontam que cerca de 20% dos pacientes com ceratocone realizam transplante de córnea para estagnar a doença. Entretanto, o crosslinking corneano vem revolucionando o manejo desses pacientes buscando diminuir esse percentual.

O que é o Crosslinking Corneano?

Trata-se de um procedimento cirúrgico, seguro e eficaz, onde a superfície da córnea é exposta a uma solução de vitamina B2 (riboflavina) seguida da aplicação de radiação ultravioleta (UVA) com o objetivo de estimular o colágeno local, aumentando a rigidez e a resistência da córnea, diminuindo sua elasticidade e com isso, reduzindo a chance de piora do abaulamento corneano.

Resultados da cirurgia de Crosslinking

Embora algumas pessoas acreditem que o crosslinking possa reverter a doença, é importante ressaltar que o objetivo é estagnar ou reduzir o avanço do ceratocone. Alguns estudos apontam que até 25% dos pacientes podem até experimentar melhora da capacidade visual, especialmente nos estágios leve ou moderado, contudo, os pacientes devem estar cientes da necessidade de usar óculos ou lentes de contato ou até mesmo da possibilidade de outro tratamento combinado, como o implante do anel de Ferrara ou novas abordagens do crosslinking.

Benefícios do Crosslinking

  • Controle da progressão do ceratocone;
  • Possibilidade de melhora do astigmatismo e miopia em até 25% dos pacientes (casos leves/moderados);
  • Procedimento cirúrgico menos invasivo do que as cirurgias oftalmológicas em geral;
  • Dispensa necessidade de internação hospitalar.

Para quem este procedimento é indicado?

Pode ser indicado no tratamento de doenças que alteram a curvatura da córnea, como ocorre no ceratocone e degeneração marginal pelúcida. No ceratocone, sua indicação dependerá de alguns fatores inerente à doença, como nível de curvatura e espessura corneana ou presença de cicatrizes, bem como de fatores externos do paciente, como a presença de outras doenças na superfície ocular que impeçam a realização do procedimento ou situações como gestação ou amamentação. Cada caso deve ser avaliado individualmente por um médico oftalmologista especialista em córnea.

Como funciona o pós-operatório?

Quanto à visão, após a cirurgia o paciente pode apresentar algumas alterações temporárias, como inchaço, sensibilidade a luz, visão embaçada ou dupla. Mas, de maneira geral, esses sintomas diminuem gradualmente ao longo das semanas de recuperação. O mais importante, é seguir as recomendações pós-operatórias, usar os colírios prescritos e manter o acompanhamento periódico.

Saiba mais sobre o crosslinking agendando uma consulta com um de nossos especialistas.

E aí? Gostou da novidade? Conheça o Hospital de Olhos do Tocantins.

Se precisar, conte sempre com o HO Tocantins.